O Blog do Nando

Um pouco disto, mais daquilo e um tanto-ou-quanto do que me apetece.
Sejam bem-vindos!
Olhares do Nando
nando-online

Rádio Nando
tempo
Estado de Espí­rito

Dikta

Warnings (4:03)
play - stop

sexta-feira, janeiro 27, 2006

o triste diário de um cão



Já que estamos com as mãos na massa, vamos a eles!

A história abaixo narrada não é de minha autoria. Também não é novidade, pois já a tinha lido há uns bons tempos atrás. É um daqueles mails que correm meio mundo. E é também mais um daquela menina dos emails.
O que me leva a por esta história aqui tem, em grande parte, o mesmo motivo com que pus a imagem do último post. O resto do motivo, é por conhecer alguns (infelizmente demasiados) destes casos. Da pequena vila de onde sou, lá pros lados "primitivos", como alguém não há muito tempo lhe chamou, do nosso Portugal, há muita gente que gosta de ter cães. É fixe! Dão jeito para ir à caça, para não termos "nós" de ir buscar a perdiz assassinada. O problem é depois tratar destes bichos que são os "nossos" melhores amigos por umas horas, mas depois empecilhos por meses.

Em pequeninos é que eles são giros. É este um dos problemas a meu ver. Deviam ser feios! Muito feios mesmo. Assim aqueles tótós que se encantam com um cucho no início e acaba por o maltratar quando crescido já não existiam...

QUEM NÃO TEM CONDIÇÕES, NÃO DEVE TER CÃES!!


Regra tão fundamental como as próprias leis da física.
Então, aqui fica sem mais demoras, o Diário de um cão:

1ª semana
Hoje completei uma semana de vida. Que alegria ter chegado a este mundo!

1 mês
A Minha mãe cuida muito bem de mim. É uma mãe exemplar!

2 meses
Hoje separaram-me da minha mãe. Ela estava muito irrequieta e, com seu olhar, disse-me adeus. Espero que a minha nova "família humana" cuide tão bem de mim como ela o fez.

4 meses
Cresci rápido, tudo me chama a atenção. Há várias crianças na casa e para mim são como "irmãozinhos ". Somos muito brincalhões, eles puxam-me o rabo e eu mordo-os na brincadeira.

5 meses
Hoje deram-me uma bronca. A minha dona ficou incomodada porque fiz xixi dentro de casa. Mas nunca me haviam ensinado onde deveria fazê-lo. Além do que, durmo no hall de entrada. Não deu para aguentar

8 meses
Sou um cão feliz! Tenho o calor de um lar; sinto-me tão seguro, tão protegido... Acho que a minha família humana me ama e me dá muitas coisas. O pátio é todinho para mim e, às vezes, excedo-me, cavando na terra como meus antepassados, os lobos quando escondiam a comida. Nunca me educam... Deve ser correcto tudo o que faço.

12 meses
Hoje completo um ano. Sou um cão adulto. Os meus donos dizem que cresci mais do que eles
esperavam. Que orgulho devem ter de mim.

13 meses
Hoje acorrentaram-me e fico quase sem poder movimentar-me onde tem um raio de sol ou quando quero alguma sombra. Dizem que vão-me observar e que sou um ingrato. Não compreendo nada do que está a acontecer.

15 meses
Já nada é igual... moro na varanda. Sinto-me muito só. A minha família já não me quer! Ás vezes esquecem-se que tenho fome e sede. Quando chove, não tenho tecto que me abrigue...

16 meses
Hoje tiraram-me da varanda. Estou certo de que a minha família me perdoou. Eu fiquei tão contente que pulava com gosto. O meu rabo parecia um ventilador. Além disso, vão levar-me a passear!!Dirigimo-nos para a estrada e, de repente, pararam o automóvel. Abriram a porta e eu desci feliz, pensando que passaríamos o nosso dia no campo. Não compreendo porque fecharam a porta e se foram. "Ouçam, esperem!" Ladrei... esqueceram-se de mim... Corri atrás do carro com todas as minhas forças. A minha angústia crescia ao perceber que quase perdia o fôlego. Eles não paravam. Haviam-me esquecido!

17 meses
Procurei em vão achar o caminho de volta ao lar. Estou só e sinto-me perdido! No meu caminho existem pessoas de bom coração que me olham com tristeza e me dão algum alimento. Eu agradeço-lhes com o meu olhar, desde o fundo da minha alma. Eu gostaria que me adoptassem: seria leal como ninguém! Mas apenas dizem:"pobre cãozinho, deve ter-se perdido."

18 meses
Um dia destes, passei perto de uma escola e vi muitas crianças e jovens como os meus "irmãozinhos" aproximei-me de um grupo e um deles, rindo, atirou-me uma chuva de pedras "para ver quem tinha melhor pontaria". Uma dessas pedras, feriu-me o olho e então,não vejo com ele.

19 meses
Parece mentira. Quando estava mais bonito, tinham compaixão de mim. Já estou muito fraco; meu aspecto mudou. Perdi o meu olho e as pessoas mostram-me a vassoura quando pretendo deitar-me numa pequena sombra.

20 meses
Quase não posso mexer-me! Hoje, ao tentar atravessar a rua por onde passam os carros, um acertou-me! Eu estava no lugar seguro chamado "calçada ", mas nunca esquecerei o olhar de satisfação do condutor, que até se vangloriou por acertar-me. Oxalá me tivesse matado! Mas só me deslocou as patas traseiras! A dor é terrível! As minhas patas traseiras não me obedecem e com dificuldade arrastei-me até a relva, na beira do caminho. Faz dez dias que estou embaixo do sol, da chuva, do frio, sem comer. Já não posso mexer-me! A dor é insuportável! Sinto-me muito mal, fiquei num lugar húmido e parece que até o meu pêlo está a cair. Algumas pessoas passam e nem me vêem; outras dizem:"não te chegues perto!"
Já estou quase inconsciente; mas alguma força estranha me faz abrir os olhos. A doçura de sua voz fez-me reagir. "Pobre cãozinho, olha como te deixaram", dizia... com ela estava um senhor de avental branco. Começou a tocar-me e disse: "Sinto muito senhora, mas este cão já não tem remédio. É melhor que pare de sofrer". A gentil senhora, com as lágrimas rolando pelo rosto, concordou. Como pude, mexi o rabo e olhei-a, agradecendo-lhe que me ajudasse a descansar. Somente senti a
picada da injecção e dormi para sempre, pensando em porque tive que nascer se ninguém me queria.



One sad dog's Journal

Since we are with our hands dirty, let's finish up!

I am not the author of the story below. Also it is not new, I have already read it some time ago. It is one of those mails that they run through half the world. Also, it is another one (mail) from that girl of the emails.
What takes me to post this history here is, to a large extent, the same reason that I had with last post's image. The remaining portion of the reason, is for knowing some (unfortunately too many) of these cases. Being from a small village in the "primitive" sides, as somebody not so long ago called it, of Portugal, I see many people that like to have dogs. It is cool! They give use them for hunting, so that they have who searches the murdered partridge for them. The problem is later, when dealing with these animals that are "their" best friends for one hour and trouble for months.

Their are all lovely when small, teeny. Which is one of the problems, in my opinion. They should be ugly! Very ugly in fact. Thus, those assholes, that fall in love with one little dog in the beginning and finish by not caring enough when they get grown up, would not exist...

WHO DOES NOT HAVE THE CONDITIONS, MUST NOT HAVE DOGS!


Rule as fundamental as all the physics laws.
So, without any more delays, the One dog's journal:

week 1
Today I completed one week of life. What a joy to have arrived to this world!

month 1
My mother takes very well care of me. She is an role-mother!

month 2
Today I was separated from my mother. She was very nervous and, with her look, said me good bye. I hope that my new "human family" takes care of me so well as she did.

month 4
I grew up fast, everything calls my attention.
There are some children in the house and for me they are as "little brothers". We play a lot, they pull my tail and I bite them for fun.

month 5
Today I was given a quarrel. My owner was bothered because I pee inside the house. But they never had taught me where I should do it. Moreover, I sleep in the entry hall. It is too hard to stand.

month 8
I am a happy dog! I have the heat of a home; I feel myself so safe, so protected... I see that my family loves me and gives me many things. The garden is all for me and, there are times that I exceed myself digging in the land as my ancestors, the wolves, used to do. They never educate me... Everything I do must be right.

month 12
Today I complete one year. I am an adult dog. My owners say that I grew more than what they expected. They must be pride of me.

month 13
I was chained today and I am almost without being able to move, to find a sun spot or a even a shadow. They say that they will observe me and that I am an ingrate. I do not understand nothing of what is happening.

month 15
Everything changed... now I live in balcony. I feel myself very lonely. My family already does not want me! Some times they forget that I am hunger and thirsty. When it rains, I do not have a roof that shelters me...

month 16
Today I was taken off the balcony. I am certain that my family have forgived me. I was so happy that I jumped as crazy. My tail looked like a fan. Moreover, they go took me for a ride!! When we were down the road, suddenly, they stopped the car. They opened the door and I went down happy, thinking that we would pass our day in the field. I did not understand why they closed the door and left. "Hey listen, wait" I barked... but they had forgotten me... I ran behind the car with all my forces. My anguish grew when perceiving that I was almost losing my breath. They did not stop. They have forgotten me!

month 17
I searched in vain the way back home. I am alone and I feel lost! In my way there are people of good heart who look at me with sadness and give me some food. I show my thankfulness to them with my eyes, from deep in my soul. I would like that they would adopt me: I would be loyal as never before! But only only say: "poor dog, must be lost."

month 18
One of these days, I passed near a school and saw many young children as my "little brothers". I went close to a group and they, laughing, shot me a rain of rocks "to see who had better precision". One of these rocks, wounded me in the eye and since then, I do not see from it.

month 19
It seems a lie. When I was prettier, people had compassion to me. Now I am very weak; my aspect changed. I lost my wounded eye and people threat me when I intend to lie down to me in a small shade.

month 20
I almost cannot move! Today, when trying to cross the street where cars pass, one went right to me! I was in that safe place called "sidewalk", but I will never forget the look of satisfaction of the driver when going right to me. I would prefer that he had killed me! But he only dislocated my back legs! The pain is terrible! My back legs do not obey me and with difficulty I crawled myself until a grass field, aside of the way.
It has been ten days that I am under the sun and rain, cold and without eating. I cannot move me already! The pain is is now unbearable! I fell very bad, I was in a wet place and seems that my hair is now falling. Some people pass and do not they see me; other say:"don't you get near me"
I am almost unconscious; but some strange force makes me to open the eyes. The sweet of her voice made me react. "Poor little dog, look how they had left you", she said... with she was one gentleman wearing a white apron. He started to touch me and he said: "I feel sorry lady, but this dog does not have any hope. It is better that he stops suffering ". The gentile lady, with tears rolling down her face, agreed. As I could, I moved the tail and I looked at she, being thankful that she would help me to rest. I felt the bite of the injection and slept forever, thinking about the reason I had to be born if nobody wanted me.


Niina: 25-06-2005

5 comentários:

Why are you writing so sad story? Write a story with happy ending instead :)
por Anonymous Hrönn, Às 11:28 da manhã  
Ainda ha pouco tempo li no jornal a história de um rotweiller que morreu na varanda dos donos..esqueceram-se dele..
Mas ha também os cães dos caçadores que estão muitas vezes acorrentados no meio do monte, à chuva, ao frio,ao sol, sem as mínimas condições...e, quando deixam de ser "úteis" são abandonados numa estrada ou levam um belo dum tiro..
As lutas de cães são mais um exemplo da estupidez humana...enfim..
Para quê ter animais se não gostam deles???É que não são bonecos..são seres vivos..
por Anonymous Carolina, Às 3:11 da tarde  
Ah e claro, que belo exemplar está na foto :D Não fosse ela a minha bolachinha hehe :P
por Anonymous Carolina, Às 3:14 da tarde  
Ainda bem que há gente como nós...
sim concordo contigo, ainda bem que ha gente como nós, mas gente como nós deve não só acolher com carinho estes bichos, que tanto tem para dar, mas também tentar fazer algo mais.
Acolhi uma cadela faz já 1 ano e todos os dias ela me sorri e agradece-me esse gesto.
Porque é que não passamos o nosso tão amado tempo livre do fim de semana a ajudar os animais que precisam de nós?
Hoje à noite vou ajudar outros animais (e a carolina já o frisou "como todos somos"), vou ajudar os sem abrigo a passarem mais esta noite de frio gélido.
Deixemo-nos de bloguices e deixe-mos o nosso lar quente e vamos ajudar quem precisa. Solidariedade é coisa que não se vende. Por isso amigos, vamos deixar de lado as polémicas e passar já hoje à acção.
por Blogger andre, Às 1:52 da tarde  

Tens algo a dizer?