O Blog do Nando

Um pouco disto, mais daquilo e um tanto-ou-quanto do que me apetece.
Sejam bem-vindos!
Olhares do Nando
nando-online

Rádio Nando
tempo
Estado de Espí­rito

Dikta

Warnings (4:03)
play - stop

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

el estudante dinamarquês



Se julgam que os estudantes são todos iguais, em qualquer parte deste mundo, estão bem enganados.
Aqui, no Reino do fogacho e das ameaças, estes espécimes têm um comportamento um nadinha esquisito. Vamos a pontos do que tenho visto dentro de uma sala de aula:

1.- cobertura da zona cerebral, entre elas chapéus de qualquer espécie, forma, feitio, cor e tamanho, e aquelas famosas “mantas” que as senhoras, agora de disposição adversa por razões religiosas, usam para se cobrirem da ponta dos cabelos à ponta dos pés (em apenas uma cor que nem o mais avançado programa de desenho põe à disposição dos utilizadores).

2.- dormir de boca aberta emitindo sons ritmados, ao que vulgarmente se denomina de “ressonar”, por vezes com a cabeça pendente, tentando apoiar-se no próprio ombro, outras vezes em repetidas simulações de que vai cabecear a mesa, que culmina num acordar abrupto, já próximo da concretização do embate, em que a personagem em causa retoma uma nova posição na cadeira e aproveita para limpar a saliva que já escorre pelo queixo abaixo. Casos extremos chegam a apoiar a cabeça no parapeito da janela e ocupar uma segunda cadeira para esticar as pernas. E se julgam que isto só acontece no fundo da sala, estão mais uma vez enganados.

3.- comer e beber. Desde simples rebuçados e água, a grandes sandes e coke-cola ou red bull. O som do abrir do papel de alumínio pelas 11 horas da manhã é já característico, sendo perseguido logo por um “psst” da respectiva bebida. Novamente, casos extremos chegam a empunhar fatias de pizza e pernas de frango. Tal como o ponto anterior, os lugares que estas personagens ocupam na dita sala são variados, incluído a primeira fila, a 2 metros do professor.

4.- usar binóculos. Devo confessar que esta é uma novidade. Foi hoje mesmo que, de boca aberta (pelo espanto e não pelas razões do ponto 2), assisti a uma senhora, das que se vestem de ponta a ponta em mono-cor, a servir-se de um binóculo para ler os slides projectados pela professora. Esta dita senhora estava sentada na primeira fila, senda ela a pessoa mais perto do painel onde os slides eram projectados. Sem exagero, não seriam mais de 2-3 metros que a separavam da projecção. Um imagem a aparecer no No Comments da EuroNews. Eu, sentado um pouco mais atrás, algures na 3ª ou 4ª fila, tive de lutar contra um tsunami de riso que esta situação desencadeou em mim. Não foi fácil, mas o facto de o André não estar lá ajudou bastante a conter-me e a não repetir situações caricatas do passado.


el danish student

If you think that all student behaviours are equal, in any part of the world, you are definetily wrong.
Here, in the Kingdom of burning-flags and death-threats, these specimens have a quaint behavior.
Let me take you on the trip of sort of things I have seen inside of a classroom:

1.- covering of the cerebral zone, by using hats of any species, forms, shape, color and size, and those famous "blankets" that those ladies, now of adverse disposal for religious reasons, use to cover themselves from the tip of their hair to the tip of their feet (in only one color that not even the most advanced painting program has available to users).

2.- sleep with open mouth emitting rhythm sounds, vulgarly dubbed as "snore", sometimes with the head hanging, trying to support itself in the shoulder, other times in repeated simulations of a crash with the table, that culminates in an abrupt waking up, very near the concretion of the crash, where the personage in cause retakes a new position in the chair and takes the chance to clean the saliva that drains down the chin. Extreme cases go beyond that, supporting their head in the railing of the window and use a second chair to strain the legs. And if you think that this only happens in the end of the room, you are one more time wrong.

3.- eat and drink. From small candies and water to big sandewiches and coke-cola or red bull. The sound of the opening of the aluminum paper around 11am is already characteristic, being pursued with a "psst" of the respective drink. Again, extreme cases strike with slices of pizza and legs of chicken. Such as the previous item, the places that these personages occupy in the room vary, including the first row - 2 meters away from the professor.

4.- use binoculars. I must confess that this is one is new. I saw it today, with open mouth (for the astonishment and not for the reasons of item 2), one lady, of that ones that dress in mono-color, to use a binoculars to read the slides on the wall. This lady was seated in the first row, she was in fact the person most close to the panel where the slides were projected. Without exaggerate, it would not be more than 2-3 meters separating her from the panel. Me, seated a little behind, somewhere in the 3rd or 4th row, had to fight against a tsunami of laugh that this situation unchained in me. It was not easy, but the fact of André was not there greatly helped to contain myself and not to repeat past funny and weird situations.

4 comentários:

eu ja me estava a partir a rir antes de chegar ao fim da leitura só de nos imaginar naquela tarde mítica (entre outras) em que tivemos que sair da sala porque estávamos a rir como uns perdidos.
E isto porque? Só porque o prof fazia uns gestos muito peculiares diante de nós.
E com o mário no meio ... ai se não fosse o mário acho que teriamos sido expulsos da faculdade e a esta hora não tavas prestes a ser pai :P
Há que agradecer ao Dr. Mário


ahhh e esqueceste-te das lavagens de dentes
por Blogger andre, Às 2:26 da tarde  
ehehe.. essa tarde... e aquela manhã em que o prof nos explicou as coisas 3x e depois desistiu? ainda na feup.. aí nem o Mário nos valeu.. :)

eeehh.. pois esqueci.. lavar os dentes é outra!!
peço desculpa pela minha falta de modéstia. mas eu ja no 2º ciclo acompanhado de uma bela trupe (que tu conheces), faziamos verdadeiros repastos (às escondidas claro) numa das nossas aulas cujo nome da professora responsavel nao convém (por razões óbvias) divulgar. e ainda dizem que nós (portugueses) estamos atrasados...
por Anonymous João, Às 10:53 da tarde  
Desculpa mas acho que continuamos bem atrasados... A moda dos binóculos ainda não chegou cá, pelo menos para vislumbrar melhor o quadro.
Esta mopda deve-se ter extraviado antes de chegar a Portugal!!!

Abraço

Tens algo a dizer?