O Blog do Nando

Um pouco disto, mais daquilo e um tanto-ou-quanto do que me apetece.
Sejam bem-vindos!
Olhares do Nando
nando-online

Rádio Nando
tempo
Estado de Espí­rito

Dikta

Warnings (4:03)
play - stop

quinta-feira, maio 11, 2006

nuclear



Nuclear podia ser o diminutivo de nuke le air.
Nuclear é também a aposta do senhor Patrick Monteiro de Barros, o empresário ex-accionista da Galp, para tornar o país auto-suficiente em energia.
É bom saber que há alguém interessado no futuro do nosso país.
Mas terá a solução de ser tão radical?
Segundo o mesmo senhor, o país precisa de 3 centrais e aponta para o Douro como o local preferido para as instalar.
E disseram-me ontem que ele esteve recentemente na Câmara Municipal de Mogadouro a vender a sua ideia. Pois ao que parece, Mogadouro tem cara de Chernobyl.
Há diversas centrais nucleares em actividade hoje em dia, por exemplo, 80% da energia francesa é de origem nuclear. E verdade seja dita que não têm causado problemas.
Mas se algo corre mal... o resultado não é bonito.
Tal como foi a 26 de Abril de 1986, quando o 4º reactor da central de Chernobyl explodiu devido a um sobre-aquecimento durante um teste de segurança. Irónico...
O mais interessante deste acontecimento é que é um outro Titanic.
Estavam tão seguros da central nuclear que não construíram uma cobertura de protecção. Se o tivessem feito, os estragos não teriam sido tantos.
Mas mesmo que centrais nucleares não rebentem como castanhas ao lume em dia de São Martinho, ou como foguetes em noite de fim de ano, será que nos inspira confiança morar ao lado de uma bomba que em caso de um certo número de factores bizarros se verifiquem, pode causar um desastre de elevadas proporções?
Só em termos de comparação, o desastre de Chernobyl libertou 300 vezes mais radioactividade que a bomba de Hiroshima...
Será que conseguem imaginar estarem deitados a tostar na piscina, e em vez de terem como pano de fundo a serra de figueira, terem uma vista semelhante à da imagem abaixo?
E se não, o que vão fazer para nos “proteger”?
Estará n'altura de fazer uns cartazes Nuclear? Obrigado mas não! e sair à rua?

E já que estamos numa de defender os nossos interesses, porque não fazemos um pouco mais e defendamos também os de quem não tem hipótese de escolha. Passem aqui se faz favor.


Nuclear could be short for nuke le air.
Nuclear is also the joker of Mr. Patrick Monteiro de Barros, a businessman former-shareholder of the Galp, to make our country self-sufficient in energy.
It is good to know that there are people willing to look after the future of our country.
But, must the solution be so extreme?
According to the same man, the country needs 3 nuclear power plants and points to the Douro region as the preferred place to install them.
I was told yesterday that he was recently in the Mogadouro's Mayor house to sell his idea. It seems that Mogadouro looks like Chernobyl.
There are diverse nuclear power plants in activity nowadays, for example, 80% of the french energy is of nuclear origin. And truth must be said that we have not heard of any problem.
But if something goes wrong... the result is not pretty.
As it was on the 26 of April of 1986, when the 4th reactor of the Chernobyl power plant blew up due to a overheating during a security test. How ironic...
Also ironic is that this event is just another Titanic.
They were so sure of the nuclear power plant safety that did not bother to construct a protection cover, as it was designed. If they had, damage would not have been so high.
Of course that nuclear power plants do not blow up as chestnuts in the fire in a S. Martinho's day, or as rockets in a new year's evening, but how confident will we be living next to a bomb that in case of some combination of bizarre factors are met, can result in a huge disaster?
As a comparison, the disaster of Chernobyl spread 300 times more radioactivity than the Hiroshima bomb...
Can you imagine when you are lying at the sun in the swimming pool, and instead of having Figueira's mountain in your sight, you have a similar view to the image below..
What are you going to do to stop it?
Is it time to draw posters with Nuclear? No thanks! and take it to the streets?

And since we are willing to defend our best interests, why don't we do a little more for who can't have a choice. Go here.


8 comentários:

Não te esqueças que a menos do 50km temos uma central nuclear(Aldeia D´´avila). É claro que também não concordo com a ideia, como não concordava com a barragem do Sabor mas agora já me vou habituando á ideia.
Eu concordo! Qual a diferença entre ela estar em Mogadouro ou do outro lado do rio?

Já que não temos hospital, nem maternidade, nem Escola Superior, nem estradas... ao menos teríamos Central Nuclear.

Força Patrick.
O vosso ponto de vista é o "perdido por 100, perdido por 1000". Qual a diferença de estar a 100 metros de nós ou a 50km em Ávila? Se a coisa correr mal, estamos na linha da frente de qualquer das maneiras, ao menos aproveitamos o que de bem poderá acontecer..
Não estará mal visto..
Acho que já não há central para nimguém, pq ele (patrick) acabou as negociações com o governo...

Abraço
por Anonymous Manolo, Às 6:34 da tarde  
Anda pela tua página gente pouco informada! Não há nenhuma central em Aldeadavila. Esta é candidata a um cemmitério nuclear, que obviamente comporta muito mais riscos ... e será decidido até 2010.

Os cépticos deveriam ter visto o programa 60 minutos, que a SIC Notícias passou na semana passada, sobre uma situação que se vive com os resíduos nuclerares, nos EUA, e que está fora de controle!

O lobby do nuclear anda muito activo, mas as contas estão pouco claras. Não considerar as externalidades (desmantelamento da central e armazenamento de resíduos) é um absurdo ou um abuso de confiança dos que estãop menos informados.

É ainda pouco ético aproveitar os momentos de crise para fazer com que as pessoas aceitem tudo em nome do desenvolvimento (?)!

Ainda que provinciana, parece que é assim que agora se adjectivam os que se opõem, continuo a dizer "Nuclear? Não, Obrigada!"

Bjs

Maria
por Anonymous Maria, Às 9:24 da manhã  
Pois realmente estranhei que em Aldeadávila já existia uma central Nuclear.. pelos vistos não é bem assim! :)

Ora o Manel acerta em que "já não há central para ninguém", mas será mesmo porque ele (Patrick) acabou as negociações com o governo, ou porque o Presidente da Câmara de Mogadouro disse "O município manifestou a indisponibilidade absoluta para aceder a uma situação destas"?

Assim sendo, parece que não teremos de nos preocupar "tanto". Mas será que isso nos livra de uma central nuclear ser instalada algures na região, ou mesmo no país?
Nuclear sim ou não? Eis a questão...

Muito se tem dito e escrito sobre a introdução da energia nuclear em Portugal...

Respeitando quem tenha opinião diferente da minha, não posso estar mais a favor deste tipo de energia...

Assim, tendo todas as energias vantagens e desvantagens, vou aqui deixar FACTOS e juízos de valor que ponho à vossa consideração.

O nuclear tem as seguintes vantagens:
-O combustível é barato
-É a fonte a mais concentrada de geração de energia
-O resíduo é mais o compacto de todas as fontes
-Base científica extensiva para todo o ciclo
-Fácil de transportar como novo combustível
-Nenhum efeito estufa ou chuva ácida

Como principais desvantagens apontam-se:

-É a fonte de maior custo por causa dos sistemas de emergência, de contenção, de resíduo radioactivo e de armazenamento. (note-se que o encarecimento desta energia prende-se com o seu elevado grau de segurança, nomeadamente ambiental!!!)

-Requer uma solução a longo prazo para os resíduos armazenados em alto nível na maioria dos países

-Proliferação nuclear potencial (note-se POTENCIAL)

Numa altura em que assistimos a um crescente aumento do preço do petróleo com a consequente subida do custo de vida, não podemos deixar de pensar em energias alternativas, até porque, estima-se que dentro de 50 anos estejam esgotadas todas as reservas de petróleo.

Apesar de ser também favorável à implementação de energias renováveis como a solar e eólica, tendo em consideração as propícias condições climatéricas do nosso país, temos de aceitar que este tipo de energias renováveis não são, para já, economicamente viáveis (o equipamento é caro de se manter e necessita de armazenamento de energia de alto custo por exemplo baterias) e além disso estão sujeitas a uma grande margem de incerteza, uma vez que estão altamente dependentes do clima, incerteza essa que o país não pode suportar, sob risco de um “apagão” generalizado!!!
Quanto ao local de implementação, sendo eu um Mogadourense que quer ver a sua terra na vanguarda da energia não podia estar mais de acordo quanto ao local…
Quanto aos mais cépticos, deixo-lhes aqui uma nota, bem junto à nossa fronteira, Espanha tem várias centrais nucleares, caso aconteça algum desastre não estamos imunes, bem longe disso.
Para finalizar deixem-me que lhes diga que o estigma de Chernobyl tem de ser superado, até porque temos de ter em atenção o contexto em que esse desastre aconteceu…foi na Ex-URSS, onde os níveis de segurança deixavam muito a desejar e o conhecimento cientifico quanto a este tipo de energia era incomparavelmente inferior ao de hoje, só assim se compreende a ligeireza com que todo o processo de “manutenção do reactor 4” decorreu, note-se que o reactor que explodiu ia ser desactivado no dia seguinte…

Ah, na Finlândia já se está a apostar numa energia nuclear de 3ª geração, afinal podemos importar não só o modelo de educação como também o nuclear 3G!!!

Abraço

Pedro
por Anonymous Anónimo, Às 4:06 da tarde  
Eu da Finlândia importava os finlandeses, a sua cultura, a sua responsabilidade ética e capacidade de trabalho, assim como o respeito que possuem pela natureza!

O debate faz-de se muitas opiniões, mas parece haver uma fuga em frente dos políticos perante a crise energética decorrente da instabilidade política que se vive na maioria dos países produtores. Tenho muito medo deas decisões tomadas sob pressão e num tempo pouco dado à avaliação e que está a favorecer medidas reactivas.

O problema hoje não é saber se é economicamente viável mas ecologicamente viável, sob pena de desaparecermos num planeta que está a sofrer grandes alterações climáticas, sociais, económicas, políticas, com a agravante de faltarem lideranças fortes, humanistas e em que todos parecem saber tudo e ninguém sabe para onde quer ir!

É urgente sair da pós-modernidade, chega de descontrução..., ela está a matar-nos e a servir de máscara à falta de ideias!

Bjs

Maria
por Anonymous Maria, Às 9:50 da manhã  

Tens algo a dizer?